Loading...
Loading...

Wednesday, June 11, 2008

Que chatos, pá!!

Tinha de ser... a esquerda de escada a baixo, trauliteiramente, lá voltou a ser mais fundamentalista que o próprio Hamas. O Sr. Presidente da República usa uma expressão maldita de há 40 ou 50 anos atrás, portanto noutro referencial socio-politico e cai o Carmo e a Trindade (expressão também criada no pós-regime imediato, mas esta não deve fazer mal utilizar).
O "dia da raça" ou "a raça" não tem a ver necessariamente com xenofobia ou racismo. Duvido muito sinceramente que o professor Cavaco Silva quisesse com esse comentário no dia 10 de Junho dizer que é anti-imigração. Nem os srs. da SOS Racismo disseram nada desta vez, portanto o sr. historiador da treta foi descadeirado, juntamente com os suspensórios e o cachimbo. Dia da raça, no contexto em que foi dito pretende, para quem não é totalmente faccioso, obviamente falar de valores socio-culturais específicos de quem está imerso na cultura portuguesa, fazendo por definição parte dela, seja gordo ou magro, amarelo ou azul, nascido cá ou cá a trabalhar. Se faz parte de uma cultura, constroi essa própria cultura. Começam a ser dolorosamente óbvios os bafientos estrebuchos da extrema-esquerda bolorenta que têm o lápis azul mais afiado do que qualquer outro. Percebo que não têm nada onde pegar desde o final do séc. XX, mas então deixem de chatear e façam algo construtivo, olhem, vejam o Euro 2008. Aí podem dar asas ao vosso espírito do contra e, sei lá, torcerem pelos Gregos. Espera lá... isso também não pode ser... porque o Euro é futebol e no futebol às vezes discute-se a posse de bola "na raça"... deve ser proibido dizer...

1 comment:

Mascarilha Púrpura said...
This comment has been removed by the author.